quarta-feira, 20 de maio de 2009

Patagônia: o lugar onde tirei as fotos mais bonitas da minha vida

Adoro ver fotografias e admiro muito quem sabe trabalhar bem com ângulos, focos, lentes e filtros. Eu sempre gostei de vasculhar os álbuns antigos da família, de descobrir fotos do meu avô fantasiado de pirata num longínquo Carnaval dos anos 30, dos meus bisavós fazendo pose solene numa foto oficial da família nos anos 40, da minha mãe menina usando maria-chiquinha nos anos 50, dos meus pais namorando em frente a um trailer que vendia cachorro-quente numa praia da Ilha do Governador nos anos 60, do casamento deles nos anos 70 e das minhas fotos quando criança nos anos 70/80. Quando garota, fazia mil poses e caretas, adorava aparecer! Depois veio a estranha e difícil fase da adolescência nos anos 80/90, quando me sentia um patinho feio e fugia das câmeras como o diabo foge da cruz. Mais tarde, veio a consciência de que fotos são eternizadoras dos momentos da nossa vida, dos lugares, pessoas e experiências que ficaram para trás. Por isso, a partir de uma determinada época, decidi deixar a vergonha de lado e registrar praticamente todos os momentos da minha existência: um chopp com os amigos, um almoço familiar, uma manhã na praia ou uma viagem de férias. Pra mim, hoje em dia, qualquer momento é importante e digno de ser registrado. Minha câmera é a extensão do meu braço e meus amigos sabem disso muito bem! Sou exagerada mesmo e, agora com o blog, tenho mais um motivo pra registrar tudo o que faço, o que como, o que vejo, o que sinto... Tanto o meu Orkut quanto o Criative-se representam um pedacinho de mim, acho que são um rastro que eu deixo no mundo. E as fotos que coloco lá, assim como os textos que escrevo aqui, são feitos pra eu mesma ver, rever, ler e reler. Gosto de observar minhas fotografias de tempos em tempos, de lembrar das pessoas e acontecimentos e às vezes fico rindo sozinha... É tão gostoso! E é por isso que amo tirar fotos, embora não tenha absolutamente nenhuma ambição profissional nessa área. O grande barato pra mim é poder contar uma história através das imagens. Isso sim, é o que me faz pensar que meus álbuns e CDs de fotos são o bem material mais precioso que guardo em casa.

E, pensando nisso, foi inevitável lembrar da minha última viagem e das paisagens maravilhosas que tive a oportunidade de contemplar. Foi também o lugar onde tirei as fotos mais bonitas da minha vida, mas o mérito não é meu! Em dezembro de 2008, eu, meu marido Marcelo e minhas primas Carla e Carol resolvemos conhecer a Patagônia e, de quebra, passar o Natal e o Reveillon por lá. Não tivemos muito tempo de programar a viagem e acabamos fechando um pacote de 12 dias entre a Patagônia argentina e a chilena, passando 2 dias em Buenos Aires na volta. Correu tudo bem (tirando a turbulência no vôo de volta ao Rio - ai que medo!) e tivemos surpresas muito agradáveis na viagem, apesar de alguns dias nublados e chuvosos. Tal qual o Rio de Janeiro, a Patagônia é uma região onde o turismo depende de tempo bom. Alguns passeios se tornam completamente inviáveis dependendo do clima do dia, como por exemplo, o trekking no gelo.

Bom, como mencionei antes, vou contar essa história aqui através das imagens que eternizei...



Essa foi nossa primeira impressão da cidade de El Calafate, ponto de partida das excursões na Patagônia argentina. Nosso hotel ficava no ponto mais alto da cidade e colocava à nossa disposição uma van que partia do hotel em direção ao centro comercial a cada 15 minutos. Eu já falei aqui que sempre fico em hotéis simplezinhos, com no máximo 3 estrelas, o que já considero um luxo. O hotel Alto Calafate tinha 4 estrelas e foi uma novidade pra mim. Como compramos um pacote fechado e tivemos muita dificuldade de encontrar passagens para a época em que queríamos viajar, tivemos que nos conformar e pagar um pouco mais caro pelas acomodações. Bom, estou pagando essa viagem até hoje, mas confesso que os hotéis eram charmosíssimos e acho que valeu a pena. Tive que registrar o banho do Marcelo na piscina térmica, que ficava num ambiente todo envidraçado de onde se via o lindo Lago Argentino. Eu só não aproveitei a piscina porque queria preservar minha escova progressiva... ai, ai, ai, agora me arrependo!



Esse era o centro comercial da cidade com várias lojinhas feitas de madeira e vidro, tudo bem rústico e aconchegante. Lá você encontra o artesanato local, cachecóis e casacos de lã, couro, geléias, doces, chás e chocolates. No momento da foto, um grupo de brasileiros cantava alguns clássicos do gênero musical que mais gosto: a bossa nova.

No segundo dia, partimos cedo para pegar o catamarã que nos levou para conhecer o famoso Perito Moreno e, logo depois, tivemos a oportunidade de circular num conjunto de passarelas que nos permitiu ver a geleira de vários ângulos. Fiquei maravilhada com a beleza e dimensão da grande massa de gelo. Sem dúvida, um lugar inesquecível! Segundo a Wikipedia: A Geleira Perito Moreno localiza-se na Argentina e está situada entre os 47º e 51º de latitude sul. Ela se estende desde o Campo de Gelo Patagônico Sul, na fronteira entre Argentina e Chile, até o braço sul do Lago Argentino, possuindo 5km de largura e 60m de altura. É uma das geleiras mais imponentes e já foi chamada de a "oitava maravilha do mundo", devido à vista que se tem de seu topo. Localizada em uma zona rodeada por bosques e montanhas, está dentro do Parque Nacional Los Glaciares, criado em 1937 na Província de Santa Cruz, localizada ao sul da Argentina. Esse parque, de 724.000 hectares possui um total de 356 geleiras.

Em diversos pontos de sua extensão, a geleira represa as águas do Lago Argentino, fazendo com que esse atinja uma altura de até 30 metros. Neste ponto a água começa a fazer pressão sobre o gelo. Essa pressão cria um túnel com uma abertura de mais de 50 metros, por onde as águas do Rio Braço acabam descendo até o Lago Argentino. A pressão da água provoca um desabamento na borda da geleira, formando um espetáculo incrível. Esse processo se repete ao longo de intervalos irregulares: o último desabamento ocorreu em 9 de julho de 2008. Os anteriores em 13 de Março de 2006, dois anos após o desabamento ocorrido em 2004, sendo que o anterior ocorreu somente 16 anos antes, em fevereiro de 1988. Os turistas podem observar o fenômeno a 200 metros de distância, em instalações especialmente construídas para este fim. Este último desabamento foi presenciado por cerca de vinte felizardos.



Essa última foto da passarela vazia com parte do Perito Moreno é a que mais gosto de toda a viagem. Esperei que alguns turistas passassem e aproveitei a oportunidade para registrar esse lugar lindo e tranquilo. Essa foto me transmite uma paz incrível e é por isso que uso-a como plano de fundo da tela do meu computador, tanto em casa quanto no trabalho.

No dia seguinte, partimos em outro barco para ver mais geleiras e icebergs flutuando no Lago Argentino, dentro do Parque Nacional Los Glaciares. Eu nunca tinha imaginado que um dia veria icebergs de verdade. A maior parte dos icebergs são azuis, da cor do gelo glacial comprimido. Foi uma experiência fantástica e emocionante! O único problema foi o vento patagônico, que nos perseguiu durante toda a viagem... Aliás, esqueci de mencionar que fomos no verão e, apesar da nossa roupa não aparentar, estávamos teoricamente na época mais quente do ano!



A próxima parada foi a Patagônia Chilena. Pegamos um ônibus comum e cheio de turistas mochileiros que ligava a Argentina ao Chile e penamos numa viagem de 5 horas por uma estrada de terra. Bom, a estrada era ruim mas a paisagem era de tirar o fôlego. Ficamos parados na fronteira por muito tempo e tivemos nossa bagagem revistada uma a uma. Pra piorar a situação, era véspera de Natal e os funcionários da aduana não estavam de bom humor... Mas, enfim chegamos a Puerto Natales, uma pequena cidade chilena que é o principal ponto de entrada para os visitantes do Parque Nacional das Torres del Paine. E ainda deu tempo de reservamos uma mesa no melhor restaurante da cidade para a ceia de Natal.

O parque é simplesmente deslumbrante! As paisagens não parecem reais porque as cores são muito vibrantes!!! Os lagos tem diferentes tonalidades de azul, que vão desde um tom bem clarinho até um turquesa intenso. Isso ocorre de acordo com a proveniência das águas que os abastecem, que podem ser das chuvas ou do degelo dos glaciares. Avistamos alguns exemplares da fauna local, como o guanaco e o huemul, registrados em duas fotos abaixo.




Voltando do Chile, nossa parada seguinte foi a cidade de Ushuaia, na Argentina. É conhecida como a cidade do fim do mundo, por ser o ponto mais austral do planeta, e é ponto de partida dos cruzeiros para a Antártida. Nos hospedamos no Hotel del Glaciar. Lá, fizemos um passeio de 4x4 pelos lagos Fagnano e Escondido, onde testemunhamos a destruição de árvores para construção de diques produzida pelos castores importados do Canadá, com o objetivo de desenvolver a indústria de peles em Ushuaia. A empreitada não deu certo e os castores tornaram-se uma verdadeira praga. Nesse dia, tivemos a sorte de tomar o café da manhã observando a neve cair fora do hotel, cobrindo tudo de branco em poucos minutos. E lembrem-se: era pleno verão!!!! Além disso, fizemos um passeio de barco pelo Canal de Beagle, visitando a Ilha dos Pássaros, Ilha dos Lobos (marinhos) e o Farol Les Éclaireurs (que ao contrário do que muitos pensam e divulgam, não é o farol no fim do mundo do livro de Julio Verne). Conhecemos também o Parque Nacional da Terra do Fogo e o Parque Nacional Lapataia. Nesse parque termina a rota número 3, a maior estrada do continente americano, que liga o extremo sul da América do Sul ao Alaska, no norte do continente, e tem 17.848 km de extensão.



Nas fotos acima, alguns exemplos das flores típicas da região, encontradas em várias tonalidades.

No último dia em terras patagônicas, decidimos aproveitar as poucas horas livres na parte da manhã para conhecer o Cerro Martial, que ficava alguns metros acima do nosso hotel. Na base do cerro, havia um teleférico que nos levou até o topo. Um pouco mais acima, há o Glaciar martial, mas como estava nevando, eu e minhas primas ficamos com medo de ir mais adiante. O único que se aventurou foi o Marcelo e disse que não se arrependeu. Na hora de voltar, começou a nevar forte e não tivemos escolha: fomos forçados a encarar um passeio de teleférico no meio da neve e com muito vento frio no rosto, brrrrrrrr...



Mas nossa aventura patagônica não termina por aqui. Falta falar das nossas experiências gastronômicas muito bem sucedidas e da culinária típica que inclui o famoso cordeiro patagônico, a centolla gigante, o pan de Páscua da ceia de natal chilena, o Pisco Sour e as deliciosas cervejas que provamos. Mas isso fica para uma próxima quarta-feira.

Beijos e ótima semana!


37 comentários:

Verônica Cobas disse... [Responder comentário]

Fotos lindas, querida amiga. Curti essa viagem acompanhando as imagens que você colocava no Orkut de tempos em tempos.
O contraste do azul do céu com o branco impávido das geleiras é ao mesmo tempo leve e pungente. Fiquei olhando as fotos hoje bem cedo - como tu sabes, somos madrugadoras do blog - e porque coloco a cabeça prá pensar logo que acordo, refleti sobre como podemos,às vezes, ser tão tacanhos diante da imensidão de possibilidades que temos. Podemos ser felizes - ou tentar ser felizes - estejamos no sol ou na geleira; no colorido do dia ou no mergulho da noite; no terreno do generoso e até do inóspito. É claro que suas fotos retratam o seu prazer pela viagem, pelas companhias, pela experiência do novo de novo. Porque, afinal, somos nós - tirando aqui os acontecimentos fortuitos da vida - que construimos o nosso caminho e o nosso olhar sobre o que vemos e vivemos.
Isso é um papo filosófico meio sem pé nem cabeça, mas sempre penso em diversidade quando - carioca que sou - dou de cara com o impacto da neve, do gelo, e das pessoas que me mostram o quanto somos diferentes e absolutamente iguais.

beijos sempre. Vê

Claudia Basilio disse... [Responder comentário]

Oi Katia,
bom dia!!!
indo trabalhar, dei uma passadinha por aqui. Sempre achei esse blog maneiríssimo, mas quase não tenho tempo p visitar blogs como gostaria (perg a Haddad rsrs, ela já desistiu de mim nesse sentido, rs).
Sua descrição cronológica das fotos nos faz lembrar de cada coisa que não existe mais e que as crianças de hj não dão importância não tomaram (nem tomarão) conhecimento...Deve ter sido o máximo ver seu avô de pirata e seus pais num treiler na ilha rs (não imagino vc hj com o Marcelo comendo cachorro-quenta na ex-romântica ilha do governador rs).
anos 70 e 80 (época maravilhosa que agora damos o veradeiro valor).
Suas fotos nas geleiras me deu aquela velha impressão de que após elas o mundo é quadrado e termina um abismo sem fim kkk. Lindo e mágico o lugar!
Bom, deixa eu ir senão me atraso!
Bjo grande.
Clau BASILIO.

Mari disse... [Responder comentário]

VIAJAR É TUDO DE BOM!!!! Fotos lindas, divertidas, didáticas e gostosas de (re)ver!!
beijocas!!

Aline Corso disse... [Responder comentário]

katia querida,
que fotos maravilhosas

e vc então, tão linda.

fiquei encantada com as fotos, que azul!


grande beijo ,

aline

Beta Bernardo disse... [Responder comentário]

Bem, acho que você já me conhece o suficiente pra prever meu comentário sobre esse post, né? QUE FOTOS MAIS L-I-N-D-A-S!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tô estarrecida aqui, babando e louca pra ter um dia a oportunidade de ver tudo isso de perto, e óbvio registrar tudo como minhas lentes! rsrsrssrs
Ainda não li o relato da viagem, vou ler assim que desafogar aqui. Preciso de calma. Mas as fotos... olhei com lentes de aumento, pra registrar na retina e na memória cada pedacinho dessas imagens. E claro, me fez lembrar muito minha experiência na Patagônia também, só que em San Carlos de Bariloche! Delicia de experiência!!!
Precisamos ir juntas numa oportunidade dessas... seria demais!!!
Amei o post... chego a estar animada aqui!!! hehehe
Bjks

Rosi disse... [Responder comentário]

Fotos lindas! Dá até aquela vontade de ir pra lá conferir se tudo isso é verdade mesmo, rssssssssss.
Um abraço

KEKA disse... [Responder comentário]

Lindo mesmo!
parabéns pelas fotos!
imagino que deve ter sido uma viagem muito gostosa...
beijos

Babi Mello disse... [Responder comentário]

Caraca, que lugar mais lindo e precisamos trabalhar para viajar porque não há experiência mais maravilhosa do mundo.
Bj!

Wagner disse... [Responder comentário]

Realmente, as fotos contam — belamente! — a história da viagem e o prazer que vocês pareceram experimentar. Adorei ver o contraste entre as cores literalmente frias dos azuis glaciais em contraste com os vermelhos das roupas. Sua idéia de registrar os momentos significativos é, sem dúvida, excelente. Mas ainda melhor é a idéia de compartilhar conosco essas imagens! De fato, uma das paisagens mais lindas que já vi (através de fotos) na minha vida também! Belo post!

Beijo!

Joaninha Bacana disse... [Responder comentário]

Lindíssimas as suas fotos: a cor da água com a cor do céu é um escândalo de azul!!! :o) Amei! Quero conhecer Patagônia também!!! :o)
Lá em casa, namorido é que adora fotos: se um dia a casa pegar
fogo, a primeira coisa que eu sei que ele salva (depois de mim, óbvio... ou assim espero, hahaha) é o material fotográfico e as fotos :o) Alias, ele faz sempre dois backups e um deles fica na casa dos pais dele - just in case :o)
Beijos, e lindas, lindas fotos!!!
Angie
P.S. Adorei a foto de vocês quatro na floresta: parece capa de uma banda de rock :o)))

Kyria disse... [Responder comentário]

Kátia, a vida é maravilhosa nos dando oportunidades de conhecer, conhecer, conhecer e admirar. Lindas fotos, bjs

Flavia Bernardo disse... [Responder comentário]

Fotos lindas!! Uauuu!!!!!!!

Casamento feliz disse... [Responder comentário]

Fotos lindíssimas mesmo , adorei seu relato e viajei rs

Beijos e até quarta

Anonymous disse... [Responder comentário]

Katia,

Estive em Calafate (by the way, no mesmo hotel que vocês ficaram) e no Ushuaia em Agosto de 2007 e realmente é um desbunde!!!

Nunca havia viajado para um lugar com neve e frio, porém me surpreendi ao perceber que a beleza é tão grande que o frio não me incomoda nadinha.

Vendo suas fotos, lembrei de cada dia maravilhoso que passei lá: as comidas deliciosas, os vinhos, os tombos na pista de esqui em Ushuaia, encontrar 12 brasileiros no mesmo barco que ia para o Canal Beagle e tantas outras coisas.

Vontade de correr para casa, fazer minhas malas e botar o pé na estrada... porém, como preciso ganhar $$$ para isso, deixa eu voltar ao trabalho. Rsrsrsrsrs.

Beijos,
Cláudia Oliveira.

Lets disse... [Responder comentário]

Ei, Kátia,
fotos são mesmo a melhor maneira de eternizar momentos. Só asim eles serão sempre recordados com as impressões originais, promovendo em nossa memória a doce recordação daquele momento. Também adoo registrar pequenos, simples e felizes momentos com a minha máquina e meu amadorismo. Há quem ache isso brega ou bobo, mas nós, que gostamos, sabemos o valor e a importância de cada clique, não é?
Suas fotos estão realmente lindíssimas. Cada ângulo, cada cena, tudo encantador, apaixonante! Tenho certeza de que sua viagem foi maravilhosa e essas fotos permitem que vc se emocione como se estivesse lá no passado... Fascinante isso!!!
Ótima semana pra vc!
Estarei amanhã na sua cidade e, se m for possível, escrevo um comentário bem carioca pra vcs!!!
Bjokas
Lets

Ana disse... [Responder comentário]

Linduuuuu!! Fotenhas Maravilhosas!!!Luxooooo, bjus

Lúcia disse... [Responder comentário]

Maravilhindo!!! Amei!!

Isabela Kastrup disse... [Responder comentário]

Nossa que fotos maravilhosas e que lugar divino. Pua inspiração!
Parabéns!
Beijinhos mil,
Isa

João Videira Santos disse... [Responder comentário]

Viajar à distancia com alguém que viajou.

Belos apontamentos de reportagem.

Muito bom.

Parabéns!

Lets disse... [Responder comentário]

Amore,
estou indo a passeio mesmo: vou conhecer minha esperada sobrinha, q vem ao mundo no sábado, dia 23. Ficarei por pouco tempo e adoraria te conhecer. De qq forma, estare sempe voltando e quem sabe na próxima eu te falo com antecedência e a gente combina direitinho, hein?
Ainda sobre as fotos, eu amei duas em especial: uma em que vc está de costas, de braços abertos para o lago - linda! - parece que está abraçando o mundo!!!; na outra vc está de vermelho com uma geleira ao fundo - tb lindona!!!
Então, se houver o tempinho, façamos contato estes dias para marcarmos um café ou choppinho, combinado?
Bjokas
Lets

Nicinha disse... [Responder comentário]

Oi Kátia,
Também adoro albuns de fotos antigas. Adolescência quem não passou por essa fase? De sentir estranha, fora do ninho.Depois é só analizar e vê que todas passamos por ela. Essa da escova foi ótimo, até rir aqui, a mulher e suas vaidades, quanta coisa perdemos :)
Que lugar lindo, deria perfeito.Adorei viajar na sua história.
Que linda as flores e diferente, você sabe o nome?
Bem como você sabe em julho estarei na Argentina, tou tentando me convenser de comer o famoso cordeiro, indicação sua :)
Muitop bom seu post hoje, quarta dou continuidade a leitura.
Uma excelente semana!!!
Bjs Nicinha

Renata Barillari disse... [Responder comentário]

Katia lindas fotos!

Lets disse... [Responder comentário]

Vê,
falha minha não ter deixado o meu endereço de e-mail na minha página do blog. Anota aí: letsfigueiredo@gmail.com.
Vc está no Rio tb? Nossa, amaria conhecer vcs. Não sei se haverá tempo, mas eu faria o possível para isso acontecer.
Bjokas
Lets

Anna disse... [Responder comentário]

Amo viajar, já fiz os Lagos Andinos, e a primeira vez que vi a neve foi em Bariloche.
Estou adorando ver suas fotos.
Já me deu vontade de ir conhecer novos lugares, como a patagônia.
Lindo!!!

João Luis Guedes P. Pereira disse... [Responder comentário]

Kátia, essa coisa da fotografia, pose, gestos e atitudes, parece ser ter sido feita especialmente pra você. A conexão que você tem com tudo isso se vê expressas nas fotos.
A sua viagem à Patagônia foi acompanhada de perto, pois as suas inclusões fotográficas no orkut nos permitia acompanhar tudo passo a passo, como um diário, pro nosso deleite. As fotos do local, das geleiras, do branco quase azul são impressionantes e olha que ver esse cenário ao vivo e pelas lentes de uma câmera tem um abismo de diferença. Eu não sou muito de lugares frios, mas esse é um passeio que gostaria muito de fazer. Pena que ainda seja um pouco fora do meu orçamento. Mas, ter uma amiga que viu isso de perto, que pode nos relatar e ainda tirou essas fotos sensacionais, já é como ter estado lá!! Post lindo, que apesar das geleiras, emanou um imenso calor de felicidade e diversão, através das suas fotos. Fotos lindas, em estilo, cenário, beleza e técnica!! Parabéns!!! Beijos!!!

Rosi disse... [Responder comentário]

PARA VERÔNICA

Querida

Sempre gostei de postar entrevistas, acho genial mostrar que outras pessoas tb fazem parte do meu mundinho particular. Convido amigos. Postei uma entrevista de uma amigo ator que encenou a peça Paixão de Cristo esse ano e fez muito sucesso. Agora a entrevista com a Suzana por ter escrito um livro.
Aproveitando, a gente bem que podia fazer uma entrevista contigo, assim vc conta como é trabalhar na redação de uma revista, que tal?! Pense com carinho.
Qto a inspiração p/ publicar aqui no Criative-se, acho ótima. Muitos textos que vcs postaram tb serviram de inspiração pra mim. Vcs bem que podiam usar essa idéia com a ganhadora do concurso. Tenho certeza que todas que visitam vcs tem muito pra contar.
Um grande beijo!!!

Renata Victal disse... [Responder comentário]

Sensacionais estas fotos. Quero ir para lá hoje... :( pena que não posso.
bjs

Lucia Laureano disse... [Responder comentário]

Katia,

Você certamente é a pessoa que inspira o desejo de conhecer e desbravar este mundão bem alem da Disney ou dos hotéis fazenda... Sem dúvida você tem despertado em mim a imensa vontade de ter um tempinho só para o Fabio! Agora só me falta um pouquinho mais de coragem para deixar o pimpolho aos cuidados de outro para curtir ao menos um fim de semana a dois...
Fotos lindas, viagem maravilhosa!

Cacá disse... [Responder comentário]

Katia,
Que delícia de fotos e relato. Pelo jeito foi uma viagem inesquecível mesmo!
Adoreiii!!
Agora quero ir pra lá tb, o mais rápido possível, haha.
Beijão!

Lucila Zahran Turqueto disse... [Responder comentário]

Oi Kàtia, estava há algum tempo para te escrever essa mensagem. Vc acredita que fui com a minha família até Poerto Mont no Chile e de lá meu pai desistiu de ir para as geleiras! Mas tudo bem, não faltarão oportunidades para voltar. Essas suas fotos me animaram muito. Beijos

Amanda Zambrim Aranda disse... [Responder comentário]

Nooooossa que coisa mais linda. Eu já queria ir pra Argentina na minha lua de mel, agora então, to looouca pra ir hahaha.
Queria saber algumas coisas a mais, como valores de diárias, refeições e essas coisas assim, pra saber se o rombo na conta vai ser grande com a viagem haha. Se vc puder, me mande um email com o que vc achou sobre os valores, pra eu ter noção se caberá no meu bolso haha.
Meu email é amnd_love@hotmail.com
Obrigadaaaaaa
Parabéns pela bela viagem e lindas fotos =)
Bjuss
Amanda

Aline disse... [Responder comentário]

Nossa, eu fui para a Patagonia e fiz um roteiro muito parecido com o seu! e os detalhes que você cita são exatamente as coisas que eu gravei na minha cabeça.. as flores, o centrinho comercial de calafate, fiz tb o passeio pelos lagos em ushuaia... a castoreira...
amei esse lugar!!!!!!!

Yoyo Pizy disse... [Responder comentário]

Amei esse post, as fotos, os relatos, tudo, tudinho mesmo.
A Patagônia foi, para mim também,uma viagem insequecível!
Fiquei 5 dias em El Calafate e 3 em Puerto Madryn, antes de seguir para Bariloche, onde fiquei tb por 5 dias( muita gente esquece mas, Bariloche ainda é patagônia)
Bjaummm

Lucila Zahran Turqueto disse... [Responder comentário]

Oi Katia. o lugar é mesmo incrível né. Agora quero eu conhecer lá rssss Bjs Lú

Ana Maria disse... [Responder comentário]

Oi, Kátia, muito legal este teu post. Viajei contigo nas tuas histórias....rs. Uiii, que frio !!! As fotos estão ótimas. Beijos

Claudia Liechavicius disse... [Responder comentário]

Fotos espetaculares, Katia!!!!
Neve é hipnotizante. Tudo branquinho. Tão romântico. Lindo post fiquei curiosa para conhecer a Patagônia e ir até o fim do mundo. hehehe.
Beijos
Claudia

António Rosa disse... [Responder comentário]

Olá Kátia

Que bela viagem. A Patagónia é realmente um local especial do planeta e a Terra do Fogo (Ushuaia) é mágico. Simplesmente isso, mágico.

Beijo.

Related Posts with Thumbnails